IoE: a Internet de Todas as Coisas está mudando a nossa realidade

Você deve se lembrar – ou imaginar – como era o mundo sem internet. Afinal, não faz tanto tempo assim. A internet nasceu no auge da Guerra Fria, mas foi nos anos 90 que ela se tornou pública. Começou tímida, discada, nos fins de semana para não “gastar impulso”. E agora simplesmente não dá para imaginar o nosso dia-a-dia sem ela, tão conectada a tudo.

A gente se lembra como era e de como a internet se tornou essencial de um dia para o outro, mas as perspectivas de como ela está crescendo ainda assustam. Estamos inseridos no mundo virtual e nos acostumamos com a velocidade dele, mas quando olhamos ao redor, parece que tudo correu rápido demais.

Assim tem sido com a Internet das Coisas também. Talvez você nem conheça, ou tenha ouvido falar pouco, mas ela provavelmente vai entrar na sua vida, se já não estiver completamente presente. A chamada IoT (Internet of things) é exatamente o que o nome sugere: imagine objetos do seu cotidiano, como carros, eletrodomésticos e até as janelas ou o portão da sua casa conectados à internet e entre si, trabalhando para te oferecer a melhor experiência possível o tempo todo.

Parece uma realidade ainda distante, mas já está acontecendo. O conceito foi proposto em 1999 por Kevin Ashton e em 2017 IoT era a segunda tecnologia mais usada nas empresas entrevistadas ao redor do globo (inclusive no Brasil), segundo a Marsh, estando presente em 48% das corporações entrevistadas.

A tecnologia caminha rápido. IoT ainda parece muito longe de ser parte da realidade de todas as casas, mas nem é mais o próximo degrau. Já é o tempo de IoE (Internet of Everything), ou Internet de Todas as Coisas.

Segundo a Cisco, o próximo passo natural é ligar absolutamente tudo: coisas, processos, pessoas e dados de todos os tipos, gerando incontáveis conexões de valor diariamente, tanto para os usuários quanto para as empresas.

A tecnologia pra que isso aconteça já existe e temos uma pequena amostra dela todos os dias, nos nossos Smartphones. Através deles é possível monitorar muito sobre nosso comportamento como usuários: os aplicativos preferidos, nossa movimentação pela cidade, preferências de busca, hábitos diários.

Agora, imagine se todos os seus eletrodomésticos e eletrônicos pudessem contar tanto sobre você quanto seu smartphone.

Seus eletrodomésticos sabem como trabalhar da melhor forma pra que você tenha a experiência mais agradável e pessoal possível com cada um deles. Assim, se você gosta de acordar ao som de Jazz, provavelmente o seu som despertará com sua playlist preferida pela manhã, enquanto suas cortinas se abrem e seu café é preparado. Isso é IoT.

Estamos então num hotel, também conectado, em alguma parte do mundo. Você pede que te acordem às oito da manhã. Às oito em ponto, você acorda ao som de Louis Armstrong. O café da manhã que você mais prepara em casa pode ser feito exatamente da mesma forma sem você nunca ter mencionado isso pra alguém. Se for uma viagem a trabalho, o carro alugado pode acessar sua agenda e te ajudar na sua programação diária como o seu próprio carro faria. Isso é IoE.

Os dados que você alimenta, fornecem informação para que o sistema trabalhe a seu favor, dentro e fora de casa. Não só suas coisas são perfeitas pra você, tudo pode ser. Os dados podem ser combinadas o tempo todo, para que todos os lugares tenham mais informações sobre a sua personalidade e sobre como você prefere que tudo funcione.

Parece louco imaginar que há vinte anos estávamos tentando entender como a internet funcionava – e agora, é a internet quem trabalha pra nos compreender! E você, já experienciou a Internet das Coisas? Como imagina o mundo da IoE? Conta pra gente como a tecnologia tem afetado o seu dia a dia!

Inovação na sua caixa de entrada

Receba conteúdo relevante. Grátis e sem spam.