Tecnologia e Mobilidade Urbana: como esta combinação está transformando o mundo

Quem vive em cidades grandes já está acostumado com eles: Uber, 99, Cabify, Lyft, Google Maps, Waze, Moovit, Yellow, Grin, Scoo, Riba Share, entre vários outros. Todos são apps de mobilidade urbana, que estão transformando o dia-a-dia de quem vive em grandes centros.

É claro, tudo ainda é muito recente, mas já conseguimos enxergar parte desta transformação.

Quer saber mais sobre como os apps de mobilidade urbana estão modificando as cidades? É só continuar a leitura!

O que são os apps de mobilidade urbana?

Com os exemplos ali em cima, fica fácil de entender do que estamos falando, não é? Mas algumas definições não fazem mal a ninguém.

Um app de mobilidade urbana facilita a locomoção de seus usuários. Ou seja, ele te ajuda a sair de um ponto A e chegar ao ponto B da melhor forma possível.

E isso pode ocorrer de diferentes formas, como:

  • pode ser um aplicativo que mostre a melhor rota com o transporte público, como o Moovit;
  • um que mostre o melhor caminho para ir de carro, como o Google Maps e o Waze;
  • um que te conecte com um motorista apto a te buscar e te levar para seu destino, como o Uber, 99, Cabify Lyft;
  • ou um que possibilite alugar uma bicicleta, patinete ou até uma scooter para se locomover, como Yellow, GrinScooRiba Share;
  • e aqui também entram os sites e apps de carona, como o BlaBlaCar e Urbano.

Como eles modificam as cidades?

Já falamos por aqui que as cidades estão cada vez mais inteligenteslembra? E os apps de mobilidade urbana são parte importante deste processo!

Novas opções de mobilidade

Com estes aplicativos, os cidadãos possuem mais opções para se locomover. Algumas delas, inclusive, sendo mais ecológicas, como é o caso das bicicletas e patinetes de aluguel.

Isso está fazendo com que muita gente repense hábitos. Já existem pesquisas, inclusive, que indicam que os apps de mobilidade urbana estão contribuindo para o declínio na posse de carros.

E os que disponibilizam bikes e patinetes, por sua vez, mostram na prática conceitos comuns nas convenções sobre mobilidade: the first  e the last mile, a primeira e a última milha.

Trazendo para o nosso dia-a-dia, os termos dizem respeito aquela primeira ou última parte do trajeto da casa para um ponto de ônibus ou estação de metrô e do ponto final para o trabalho, por exemplo.

Estávamos acostumados a fazer esses trajetos a pé, mas os apps de mobilidade estão mudando isso. Com eles, muitas pessoas preferem pedalar, pegar um patinete ou até mesmo chamar um motorista para percorrer estes caminhos de carro, como é dito por Ana Guerrini, diretora de Pesquisas e Políticas Públicas da 99.

Novas oportunidades

As oportunidades de emprego que surgem com esses aplicativos também é uma novidade bem-vinda nos tempos de recessão econômica.

Aqui no Brasil, por exemplo, apps de mobilidade urbana e de outros serviços já são os maiores empregadores do país.

Burocracia e limitações

Enquanto os apps de mobilidade muitas vezes têm a simplicidade e a praticidade como prioridade, as cidades ainda possuem muitas burocracias a serem seguidas.

Muitos desses aplicativos que citamos são internacionais e precisam se adequar a legislação de cada país, ou até mesmo de cada estado ou cidade.

As leis de cada lugar influenciam em tudo: desde a possibilidade de operar ou não, até nos direitos trabalhistas dos colaboradores.

Além disso, a grande maioria desses serviços opera somente em grandes centros, e até mesmo só em bairros específicos. Isso se torna uma limitação para milhões de cidadãos que assim não possuem acesso a eles.

Porém, tudo indica que as empresas vão se expandir e em breve chegar em mais localidades.

Claro, ainda existem muitos desafios a serem enfrentados, mas os benefícios dos apps de mobilidade urbana parecem compensar. Já teve experiência com alguns dos aplicativo citados? Conta para gente nos comentários!

Inovação na sua caixa de entrada

Receba conteúdo relevante. Grátis e sem spam.